Uma mãe que não gosta de remédio

Você tem uma farmácia em casa? Eu tenho. Por muitos e muitos anos, nunca saía de casa sem remédios para dor de cabeça. E se a dor de cabeça me atacasse de surpresa no meio da reunião? Melhor prevenir! Depois de ter as crianças então, sempre carrego umas coisinhas para as emergências que podem surgir.Continuar lendo “Uma mãe que não gosta de remédio”

AMOR = ATENÇÃO

Na escola, desde cedo, o verbo comparar é um dos mais conjugados. Ser melhor que os colegas em esportes ou matemática pode nos render muitos frutos. Ao longo da vida acadêmica, fazemos um sem número de provas e testes. É gerado um ranking dos alunos e somos “classificados” de acordo com os resultados. Se fosseContinuar lendo “AMOR = ATENÇÃO”

Benditos Desafios

Se não fosse por eles, como seria a nossa vida? Tranquila… pacata… calma… sem graça… E se nós tivéssemos todas as necessidades satisfeitas? Qual seria a sua motivação para se levantar e sair para trabalhar de manhã? Se nós tivéssemos o companheiro dos sonhos, o emprego desejado, o corpo perfeito, todas as bolsas e sapatosContinuar lendo “Benditos Desafios”

Luz nas mãos ou mãos de luz?

Um pouco mais sobre os livros que me encantaram e continuam me encantando ao longo de anos. Há livros que posso ler, gostar muito e emprestar sem preocupação de vê-los de volta. Desapego fácil. Alguns vão direto para doação depois da leitura. São livros leves, passatempos alegres. Há porém um terceira categoria na minha estanteContinuar lendo “Luz nas mãos ou mãos de luz?”

Ano novo, tudo velho.

Sempre me perguntei por que tinha de estar obrigatoriamente feliz no natal. Por que deveria abraçar e desejar felicidade, saúde e paz a pessoas que passaram o ano infernizando a minha vida. Qual o sentido disso? Hipocrisia. Mentiras. Faz de conta que está tudo bem. Perdão – falso ou  verdadeiro? O que seria genuíno nessesContinuar lendo “Ano novo, tudo velho.”