Bonito

Uma semana em Bonito, sem maquiagem, sem frescura, sem telefone, com glúten! Dentro da água santa da mãe Oxum, água fria, água forte, suave e dura, pura a ponto de mal ser vista, pura a ponto de parecer que flutuamos entre os peixes. Estar na água apenas para contemplar. Para sentir. Respeito. O frio no pescoçoContinuar lendo “Bonito”

Ano novo, tudo velho.

Sempre me perguntei por que tinha de estar obrigatoriamente feliz no natal. Por que deveria abraçar e desejar felicidade, saúde e paz a pessoas que passaram o ano infernizando a minha vida. Qual o sentido disso? Hipocrisia. Mentiras. Faz de conta que está tudo bem. Perdão – falso ou  verdadeiro? O que seria genuíno nessesContinuar lendo “Ano novo, tudo velho.”

A benção da chuva

Imagem da praia de Astúrias no Guarujá, São Paulo. Praia que ficou famosa por conta do triplex sem dono pertencente a um ex-trabalhador sem caráter. Mas isso não vem ao caso. Espelho d´água refletindo as nuvens escuras e os prédios ao amanhecer. Vazio delicioso. Céu pesado. Um raro momento seco numa semana de chuva contínua.Continuar lendo “A benção da chuva”

So this is Christmas… again!

Eis que chega outro natal e o que você tem feito? Muitos anos se passaram desde que John Lennon, pacifista dos mais charmosos, cantou essa canção pela primeira vez. Contudo, a pergunta persiste: o que você fez? O que você fez para mudar as coisas que te incomodam, para melhorar a saúde e sua qualidadeContinuar lendo “So this is Christmas… again!”

Quem sou eu?

Por que as perguntas mais simples são as mais difíceis de responder? Semana vai, semana vem, essa aí continua martelando a minha cabeça. Não vai ter jeito, vou ter de pegar a nave de volta ao passado…. Lá atrás quando a gente nem era ovo ainda, ou óvulo, puro material genético sem identidade à mercê daContinuar lendo “Quem sou eu?”