Elogio ou manipulação

Delícia acordar de manhã com a “urgência” de falar… Não que seja uma imposição, é aquela coceira que vem de dentro com vontade de expandir!

Depois de uma tarde em companhia de alunas queridas que eu via apenas na telinha do computador… Depois de uma tarde de muitos processos transformadores… Depois de uma noite de descanso e reparação…

Elogiar para transmitir amor X elogiar para controlar?

Parece tão óbvio e simples que, ao elogiar alguém, principalmente quem a gente gosta, a gente deseja transmitir amor e admiração. Nem sempre funciona dessa maneira. Tem dois lados: de um, a energia que vai com as palavras e gestos; do outro lado, como essa energia é recebida. Nem sempre é igual.

Pode ser leve para mim, pode ser pesado para a outra pessoa. Vem refletir comigo:

Feliz ano novo

2020 acabando… foram 365 dias de grandes mudanças para todos e grandes aprendizados para quem estava disposto a se renovar. Quando as estruturas da vida são balançadas, podemos ficar agarrados aos pilares do passado, resistir bravamente até o último instante ou soltar… 

Algo em você mudou esse ano? Quais áreas você permitiu renovar? Deixou a mente aberta para novas possibilidades? 

Todos passamos por vários testes de resiliência, paciência, convivência e assim nos adaptamos a novas formas de levar a vida. Eu também passei por vários desafios. Muitas coisas que eu não fazia antes, faço agora com leveza, como estudar on-line, por exemplo. 

Vários projetos eram adiados por “falta de tempo”, ou seja, por não priorizar, como alimentar o meu canal no Youtube. Para isso, tive de vencer o medo de falar nas redes, ao vivo e gravado, tive de vencer um certo vício de perfeccionismo, essa amarra forte que impede o movimento, pois nunca está bom o suficiente…

E cá estou eu fazendo um balanço parcial de perdas e ganhos do ano que eu batizei de 4xGratidão (2020= 4), gratidão em múltiplas doses:

Perdi a vergonha.
Perdi menos tempo no trânsito.
Perdi a calma em alguns momentos.
Ganhei muitas curas.
Perdi a preocupação com detalhes tipo roupa, manicure e sapatos.
Ganhei mais espaço no armário. 
Perdi um bom tanto de abraços. 
Ganhei mais consciência. 
Perdi amigos.
Ganhei amigos novos. 
Perdi parte da minha liberdade – gostei não!
Ganhei mais espaço interno – liberdade!.
Ganhei mais tempo com a família. 
Perdi muitos cafés, encontros, conversas, cinema, restaurantes.
Perdi a vontade de agradar – alívio!
Ganhei autenticidade. 
Ganhei mais consciência da Terra e suas energias.
Perdi noites de sono trabalhando – ou ganhei mais experiência no trabalho?
Ganhei novos clientes e seguidores. 
Perdi quilos de crenças. 
Ganhei fé em mim mesma. 
Ganhei mais escuta do corpo.
Perdi lotes de obrigações e protocolos.
Ganhei mais acesso à minha verdade e a tranquilidade de estar sozinha nisso, minha verdade pode não ter nada a ver com a ‘verdade geral’.
Ganhei parceiras na feitura da comida em casa, as meninas entraram na linha de frente comigo e com o pai, uma gostosura.
Ganhei sossego. 
Perdi o medo da solidão e isolamento.
Perdi hormônios.
Ganhei muitos presentes.
Perdi a vontade de fazer as pessoas me entenderem e me aceitarem como eu sou (confesso: esse item é um work in progress).
Ganhei mais familiaridade com as mídias – na marra!
Perdi a noção do tempo: todos os dias eram (são) iguais: o sol nasce, acorda, trabalha, dorme… O calendário perde importância absurdamente! Come na hora que dá fome, dorme a hora que tem sono seguindo ritmos mais naturais.
Ganhei o mestrado em reiki e mais possibilidades de expansão. 
Perdi alguns cursos.
Ganhei muitos livros – amoooooo!
Ganhei o curso Amarylis e mais ferramentas de trabalho. 
Perdi a noção do que sei e não sei.
Ganhei mais simplicidade, mais consciência, mais paz!
… … … … … … … … … … … …

A lista continua, dá para seguir escrevendo até 2022. Para cada item deletado ou reduzido na minha vida, gratidão. Para cada pessoa que passou por esse ano comigo, perto ou longe, gratidão. Cada abraço não dado foi enviado pela malha magnética que nos une a todos, anexado com energia reiki na melhor vibração possível. Cada pessoa que me enviou carinho de qualquer forma e textura, gratidão, recebo com o coração aberto.

Gratidão pelo ano que encerra hoje.

Gratidão pelo sol que nos acordará amanhã inaugurando mais 365 páginas para escrevermos o nosso melhor, para permitirmos o pulsar do coração a cada instante, para estarmos presentes e conscientes da importância que temos para essa realidade e da importância que cada coisa tem para nós.

Eu desejo a vida com simplicidade e beleza. Como dizia o poeta: “beleza é fundamental”. Beleza é fundamental porque é divina!

Já escreveu o seu balanço de 2020: o que você ganhou, o que você perdeu? 

No news, good news

Em inglês, temos esse ditado “no news, good news” – na minha tradução livre ‘sem notícias, boa notícia’ – representando um desejo de manter tudo como está, sem nenhuma mudança, assim fica ótimo. É quando você respira aliviado ao entrar em casa e ver que nada mudou, tudo continua e-xa-ta-men-te no mesmo lugar.

Esse final de 2020 é algo beeemmmm diferente do “normal”. Quem desejava levar a vida no mesmo fluxo de sempre, dançou! De tudo o que você colocou na sua lista de desejos de 2019, o que você efetivamente conseguiu realizar?

Daqui a 7 dias, você vai pular sete ondas? Vai comer doze uvas? Vai fazer uma nova lista de sonhos de trocar de emprego, de casa, ficar rico etc? Aquele tempo ‘normal’ quando tínhamos a liberdade simples de ir para praia, campo ou ficar com os amigos e família podem ser proibidos a qualquer momento. Ou não. Então, como podemos planejar viagens, festas, aglomerações de alegria e prazer e VIDA!?!!??

Vamos lá, se não podemos planejar o lado prático ou material, vamos ficar paralisados ou focamos no que podemos efetivamente trabalhar: o nosso mundo interno?

Assim, o que eu desejo para esse novo ano, novo ciclo, nova fase da humanidade, era de Aquário ou qualquer outro nome, o que eu DESEJO é que você (e eu) tenhamos capacidade para acessar a nossa sabedoria, a nossa divindade, a nossa frequência cristalina. Isso ninguém pode tirar de nós. Ou pode, se a gente entrar em pânico, ficar antenado na pandemia de desgraças e continuar ignorando o fato de que estamos aqui de passagem.

A liberdade de acessar a sua frequência de luz, na melhor vibração possível, não pode depender do que acontece no mundo de fora. Caso você coloque a sua sanidade na mão de pessoas, gurus ou organizações ou na mão da mídia com suas notícias sensacionalistas, você estará entregando o ouro ao bandido, ou seja, entregando o seu poder a um agente externo e deixará de se manter centrado.

Estamos vivendo no meio de um tornado de pensamentos e sentimentos pesados, uma verdadeira poluição para as nossas vibrações. Bora focar no que realmente importa. Não vamos levar nada dessa vida, nem os biquínis, joias, carros, chocolates… Porém, gastamos a maior parte do nosso tempo e energia em atividades que nada ou pouco contribuem para o nosso caminho espiritual. Ok, são suas escolhas.

Eu desejo que você encontre tempo para meditar, para uma leitura de qualidade que realmente vai nutrir a sua alma, para assistir um documentário ou filme que realmente mude as lentes grossas que você usa para olhar o mundo.

Eu desejo que você tenha tempo para rir, se divertir e fazer NADA. No meu mundo, em casa, isso se traduz em ficar na rede. Tempo para se ver de verdade e assim descobrir que você é o máximo, demais, incrível, maravilhoso, cheio de ideias, energia, VIDA e assim parar de se comparar e querer ser como alguém que você acha mais bacana que você! Isso faz você ficar em sistema autocrítica non-stop por não ser como acha que deveria e te mantém no lugar de vítima, tadinho, poor thing, não consegue nem uma ferrari na garagem… Quem se importa? O que realmente importa? Será que as coisas que você acha que deveria ser ou ter são vontades suas mesmo ou está comprando no mercadão das ideias em promoção de fim de ano?

Eu desejo que você reconheça que precisa de muito pouco (material) para ser feliz e possa levar a vida mais leve tanto de pesos físicos como daqueles que endurecem seus neurônios. Esses pesam toneladas, formam um capacete que te impede de ser flexível, de ver a beleza que está além das formas politicamente corretas.

Eu te desejo paz, serenidade, alegria, amor, sossego, saúde, tempo, saciedade, aceitação, coragem, sabedoria, simplicidade.. Só isso e tudo o mais que isso proporciona.

Solstício de Verão

Hoje, 21 de dezembro de 2020, quase finalizando esse ano tão conturbado que todos nós tivemos, acessamos uma conjunção planetária de grande impacto energético para o Planeta.

Desde cedo, comecei a fazer vídeos curtos para ajudar as pessoas a manter a frequência elevada nesse dia. Dada a potência de manifestação estar impulsionada por essa energia, se vibramos no ódio e violência, teremos isso com mais facilidade que em outras ocasiões.

Por outro lado, se vibramos amor, serenidade, alegria e compaixão, da mesma forma temos a capacidade de manifestar em nossa vida diária essas frequências.

E assim, vamos navegando nesse mar de incertezas, buscando o nosso melhor com o coração aberto, a mente serena.

Primeira dica do dia para manter sua energia elevada:

Segunda dica: É agora!

Terceira dica: respirar para conectar

Dica 4

Dica 5: assuma o seu poder

Só por hoje, seja gentil com todos os seres

Chegou a vez do último dos cinco princípios do reiki. Os princípios comentados aqui não servem apenas para as reikianos. São diretrizes para nortear a vida de qualquer pessoa, qualquer pessoa que deseje ser melhor a cada dia.

Alguns acreditam que os cursos de reiki ou apometria, cura quântica, até mesmo as Barras de Access, servem apenas para quem vai trabalhar com terapias. Antes de mais nada, a vontade de estudar energia e formas alternativas de cura nos coloca no caminho do autoconhecimento e da espiritualidade, proporcionando muitas curas.

Nesse vídeo, comento o último princípio e deixo uma sugestão para você colocá-los em prática. Aliás, acumular conhecimento de nada serve. Se não usamos o que aprendemos, é como manter uma biblioteca enorme de livros empoeirados, morada certa de traças e outros insetoides!

Que tal, a cada dia, escolher um princípio para treinar o seu dragão interno? Com isso, não quero dizer que você deva ser honesto no seu trabalho apenas às quintas-feiras e, no resto da semana, você estaria liberado para trapacear livremente!!! Quando você se propõe a um exercício desse tipo, sua atenção será chamada cada vez que houver um convite à transgressão. Assim, vai lapidando o seu ser.

Que tal?

Segunda-feira: “Só por hoje, não se zangue.”
Terça-feira: “Só por hoje, não se preocupe.”
Quarta-feira: “Só por hoje, seja grato.”
Quinta-feira: “Só por hoje, seja aplicado e honesto no seu trabalho.”
Sexta-feira: “Só por hoje, seja gentil com todos os seres.”

E, no final de semana, você pode descansar e usar todos aos mesmo tempo, ser mestre de si mesmo.

%d blogueiros gostam disto: