Mãe

Domingo é dia de cozinhar dançando ao som de “Zeca Baleiro canta Zé Ramalho”. Dois Zé´s cantadores, letras e ritmos que me provocam e ao mesmo tempo me seduzem. Voz forte e pontuada, unha pintada, acordeon de fundo dando o tom das cenas e sentimentos que se sucedem alucinados na minha mente insana. Melhor presente de domingo, qualquer domingo.

Sim, só que hoje não. Hoje, meu marido está pilotando as panelas. Porque hoje é dia das mães… quanta bobagem. Essas datas comerciais realmente me incomodam.

  • Se eu ganhar um bom presente hoje serei solícita e prestativa ao longo do ano?
  • Se os filhos forem bonzinhos hoje vale pelo resto do tempo?

Todos os dias o sol nasce para bandidos e mocinhos igualmente. Distribui a sua energia sem pudor, sem julgamento, sem escolher quem vai receber, na abundância infinita da natureza. Marcar uma data para ser generoso… isso me incomoda. Na realidade, para mim, isso só tem valor se, nos demais dias, for mais ou menos parecido. Se for válido apenas nessas 24h… tô fora! É palhaçada, é enganação, é para inglês ver, é fake.

“… Eu entendo a noite como um oceano que banha de sombras um mundo de sol… “

Recentemente a maternidade revelou muitas intensidades na minha família, sem a generosidade materna costumeira, com muitas restrições… Tema delicado em mim no momento. Não dá vontade de comemorar à moda antiga familiar, com todo mundo junto.

“.. Num peixe de asas eu quero voar…”

Passar o dia de pijama, só com o Zeca cantando, minhas meninas e só. Já que as cascas de antigas feridas foram abertas, prefiro ficar no meu canto a lamber os machucados para cicatrizar na minha energia solar, no ritmo da canção. Luz e sombra.

“… Fechar a ferida que só cicatriza na beira do mar… “

Tanto tempo e tanto estudo e ainda me flagro a gerar expectativas… Desperdício. Muito a aprender nessa vida. Muito a aprender.

De momento, gratidão por todas as mães que passaram antes de mim, possuidoras desse título ou disfarçadas de tias, primas, amigas e amigos… O princípio feminino que acolhe, coloca no colo, silencia pode vir em tantas roupas diferentes.

Lágrimas de limpeza

O que eu venho aprendendo com meus clientes ultimamente? Sempre aprendo muito com cada um, até mesmo com aqueles que agendam e não aparecem para a sessão.

No momento, gostaria de te convidar para jogar fora a vergonha de chorar suas tristezas, de permitir a limpeza da raiva, da frustração e da vontade de mudar tudo na vida e de repente, jogar tudo pro alto! Junto com as lágrimas, também sai a vontade de mudar o outro, mesmo sabendo que não podemos mudar ninguém… Vez ou outra, nos encontramos na mesma esquina da vida, diante de uma encruzilhada onde se lê na placa da esquerda: “começar de novo” e na outra, “firme na areia movediça”.

Dores conhecidas, dores aceitas. E tem gente ainda que chama de “zona de conforto” quando, na realidade é uma verdadeira ‘zona de desconforto’. Apenas temos familiaridade com as mancadas, as traições, humilhações ou rejeições…

Gente que chora incomoda. As pessoas ao redor não sabem como lidar, não sabem o que fazer. O que você faz, oferece colo, lenço, espera passar ou sai de fininho fingindo que não percebeu? Da onde vem esse constrangimento se chorar é tão natural?

Por isso, te indicam todo tipo de “remédio” para conter as lágrimas, anestesiar os sentidos, amenizar as dores, embaçar a vista, nublar o pensamento… Se você não sente, não chora, não sofre, não se anima, não vibra, não vive, não contesta… você se torna mais aceitável! Tem remédio para tudo, principalmente para colocar as pessoas no modo ‘normal’, eu diria, robotizado de ser, seguindo passivamente as instruções vigentes.

Felizes as pessoas que conseguem entrar em contato com suas emoções e vivê-las de forma plena, sem bloquear ou negar o que sentem: quando alegres, cantam e dançam, gritam e pulam feito crianças na chuva. Sem preocupação em pegar resfriado ou se molhar, estragar o cabelo e, melhor de tudo: sem se preocupar com o pensamento (= crítica) dos outros…

Quando tristes, podem se encolher no sofá e deixar fluir para fora de seus corpos fragilizados as mágoas, o cansaço e a falta de compreensão que encontram pela vida. Tem momentos em que chorar é o melhor remédio: sentar e chorar. Deixar sair.

Pessoas emotivas, intensas e sensíveis ao estilo montanha russa são desafiadoras. A sinceridade das suas emoções escancara a incapacidade de alguns em lidar com o próprio mundo interno e, para não entrar em pane, o sistema entra rapidamente em ‘modo julgamento’ dos dois lados: o chorão se julga fraco e incompetente e o outro se julga superior e forte.

Pessoas condicionadas, buscando atender a modelos de perfeição, treinadas para seguirem trilhas pré-determinados não encontram espaço para espontaneidade ou criatividade. Macacões justos tecidos em condicionamentos restringem os movimentos. Um corpo enrijecido reflete uma mente também rígida. Excesso de certezas não deixa espaço para experimentação.

Pessoas livres são desafiadoras. Livres para sentir, livres para se mover, se vestir da forma que gostam sem seguir a moda, amar como desejam amar… Eu me pergunto: tem alguma parte na nossa vida na qual somos realmente livres?

Abundância e renovação

Páscoa de novo. O coelho representa abundância e seguimos nos limitando…

Páscoa também é renovação: vemos ovos por todo lado representando a multiplicação da vida, brotando pelas fendas das encostas, borbulhando nas profundezas do oceano apesar da intensa pressão. A natureza se expande e se recria sem pudor e sem medo de altura, sem pensar no amanhã – será que vai chover e terei água para as minhas raízes?

Hoje eu te convido a mudar o que não funciona na sua vida! Sem limites para a sua criação.

Tudo começa no pensamento.

Pensamento é força criadora, é energia liberada no corpo modificando as células e no ambiente alterando as moléculas ao redor.

O que você deseja ter, ser, fazer, criar? Como deseja viver a sua vida? Separe 5 minutos, fique num local sossegado para essa tarefa que somente você pode fazer.

Imagine um dia dos seus sonhos, você acordando de manhã… onde você está?

Qual o cheiro desse lugar, esse cheio te lembra algo conhecido? O que você está vestindo e como sente a roupa no seu corpo, gosta do toque do tecido ou dos lençóis ou da rede? Quais são as cores desse ambiente? Os sons que você escuta são agradáveis – ondas do mar, pássaros, o vento nas árvores, uma máquina de café no ponto, crianças brincando… Seu corpo acorda descansado e cheio de energia, qual a sensação de se estar nesse momento? Você se sente dono do lugar ou está de passagem? Qual a emoção de acordar para mais um dia fantástico no qual você vai fazer… o que você vai fazer?

Solte sua imaginação. Pode criar algo específico para seu trabalho ou viagem de férias, para um projeto novo ou decoração.

Crie livremente colorindo seus pensamentos com emoções, sinta que pode tocar em cada objeto e sentir sua textura, use fartamente todos os seus sentidos. Envolva todo o seu corpo-mente-coração nessa criação. Desfrute desse momento. E solte. Deixe a organização divina entrar em ação para manifestar o seu sonho.

Por que doTerra?

Depois de vários anos usando óleos essenciais em casa, com as crianças e clientes, eu conheci doTerra. Uma cliente querida me apresentou essa linha, atiçou a minha curiosidade e comecei a testar em mim, com minhas ferramentas, comparar com as outras marcas… Tempo de pesquisa.

Nesse vídeo, eu conto como foi o processo de mudança, porque demorei a fazer o cadastro, o que me motivou a migrar das outras marcas para doTerra.

Para mais detalhes, confere aqui a minha conversa animada com a Graça Martinez. Nesse bate papo, ela também conta a estória dela.

Em busca de uma vida mais saudável

Lá vem convite!

O que você pode mudar na sua vida HOJE que manifestará
a vida que você realmente deseja ter?

São tantas as toxinas que fazem parte da nossa rotina diária que fica bem complicado tentar ser saudável, natural, simples… Usamos roupas de tecidos sintéticos – porque é mais fácil para cuidar. Derivados de petróleo e metais pesados fazem parte dos cosméticos e produtos de higiene pessoal que usamos regularmente. Comemos inseticidas (assim se chamavam antigamente os agrotóxicos) numa quantidade absurda. Temperamos as carnes com raiva e hormônios de animais que levaram uma existência triste e confinada.

Dai, a pessoa começa a meditar, fazer yoga… e as prioridades vão mudando. Esse povo ‘green’, zen, natureba ou maluco mesmo tem um desafio enorme ao querer uma vida simples e natural. É possível? Sim, porém contudo todavia… fácil mesmo é não pensar e seguir fazendo o que todo mundo faz.

Sim, só que não! Essa frase é da minha pequena grande caçula – roubei! A questão com a consciência, com o autoconhecimento é que não existe marcha a ré nesse caminhão da evolução. Aprende uma coisa nova, a consciência expande e não há como desaprender.

Isso influencia o que a gente come, veste, usa, faz. O hidratante comercial usado por anos e anos não serve mais. A pasta de dentes tampouco. Os perfumes sintéticos nem pensar… A gente não consegue mudar tudo mas, o pouco que muda, já faz uma bela diferença no bem estar emocional e na saúde física.

Há vários anos, troquei a pasta de dente da farmácia por uma vegana, sem flúor. Mais recentemente, troquei novamente pela pasta On Guard da doTerra, com canela, cravo e outros óleos essenciais. Substituí o enxágue bucal por outro feito por mim com mirra, melaleuca, hortelã pimenta e cravo.

Para as irritações de garganta, escolho entre a sinergia On Guard ou melaleuca, copaiba, aniz.
Para as dores, várias opções: alecrim, eucalipto, lavanda, ou as sinergias Deep Blue e Past Tense – levo um roll-on desse sempre na bolsa!
Para o marido parar de roncar e me deixar dormir: Breathe.
Para conseguir respirar com máscara: Breathe.
Para a rouquidão da filha: balas Breathe.
Para a tosse do marido e das crianças: eucalipto.
Para batidas e hematomas: cipreste, capim limão e lavanda.
Para machucados que rasgam a pele: melaleuca e lavanda.
Para queimaduras das minhas aventuras na cozinha e também os arranhões do meu gato: lavanda.
Para as espinhas no rosto: melaleuca.
Para limpar a pele: eucalipto, lavanda e melaluca.
Para crescer cabelo de toda a galera: lavanda, alecrim e cedro atlas no xampu.
Para as chatices da menopausa: gerânio, salvia sclarea, aniz estrelado, romã, Whisper.
Para evitar cãibras durante a noite: salvia sclarea e manjerona.
Para acalmar a tensão e dormir: lavanda, bergamota, capim limão e manjerona.
Para estômago embrulhado, ressaca e gastrite: Zengest.
Para saporizar a água e purificar internamente: 1 única gota de hortelã pimenta ou limão siciliano em 1 litro de água – deixa a água fresca e deliciosa e terapêutica!

Apesar dessa lista ser grande, nem está completa. A vida é um processo rico de experimentação. Aos poucos, fui testando e mudando as receitas. Mudar hábitos pode ser muito gostoso (e perfumado). O primeiro passo é a escolha: escolher ser mais natural, ser como a gente é.

Por que os óleos funcionam tão bem? Simplesmente porque eles são naturais e nosso corpo responde melhor ao natural que ao sintético.

(Interrompi a escrita para socorrer minha filhota, chorosa com a montanha russa hormonal. Dois óleos pularam da nécessaire para a minha mão: eucalipto e bergamota – não eram os mais “indicados” teoricamente porém, passei na nuca e no baixo ventre e ela já voltou a rir gostosamente.)

Os óleos estão tão integrados na minha rotina que seria complicado e sofrido viver sem eles. Tudo isso com 100% de pureza e sem impacto ambiental. Isso me traz conforto e paz de espírito.

Você também pode ter uma vida mais saudável. Que tal começar agora? O que você pode mudar hoje na sua vida que manifestará a vida que você realmente deseja ter? Me chama que eu te mostro o caminho com facilidade, alegria e aromas deliciosos.

%d blogueiros gostam disto: