Inner Strength

Semana intensa. Viagem desafio.

De manhã: acorda cedo, café da manhã reforçado e RUA!
De noite: arruma tudo e dorme o sono dos justos – mais ou menos justo, na realidade, um sono cheio de intervalos.

Caminhada constante, mochila pesada nas costas, garrafa de água cheia-vazia-cheia-vazia, pausas e comidinhas… Total: 15km por dia! Essa foi minha primeira grande surpresa! Não imaginava andar tanto em um dia, vários dias seguidos. Dá até para sonhar com o caminho de Santiago…

Excesso de estímulo visual: imagens e letreiros luminosos de todos os tipos e tamanhos. Excesso de alternativas, muitas peças, números, cálculos, cores… Algumas vezes me sentia dentro da noite de Blade Runner ou da Seul de Cloud Atlas.

Excesso de estímulos auditivos: música alta constante, multidão de pessoas falando ou gritando, sons de carros e caminhões, apitos, crianças – choros e risadas, muitas línguas diferentes faladas ao mesmo tempo… uma Babel em plena feira livre na véspera do natal.

Num dia especial de feriado nacional, uma visão de fim de mundo ao sair de manhã: tudo fechado, cidade vazia, abandonada, parecia morta. Restos de lixo e seus cheiros específicos sendo realocados pelo vento. Nenhum mendigo dormindo na calçada para trazer alguma insanidade humana à paisagem tétrica. Em uma hora, tudo mudou voltando ao caos habitual.

A overdose de sons e imagens sozinha poderia ter sido insuportável para mim. Acrescente-se a isso muita atividade física e peso nos ombros, obtém-se uma receita infalível para todo tipo de dor: dor nas pernas, costas e pescoço acompanhadas pela sempre intrometida dor de cabeça. Sem tempo para massagens ou acupuntura, os analgésicos entrariam em cena como o tempero clássico do prato principal.

Sim, só que não!

O “normal esperado” não aconteceu.

E a mente alucinada aqui dentro quer saber o porquê. Por que saber o porquê?

Embarquei nessa trip com expectativa zero. Ativei o modo ‘seja lá o que deus quiser’ e fui. Se der para comer light e veggie, ótimo! Se não der, o que tem para hoje? Deixei o chicote das cobranças internas em casa. Viver sem expectativas é uma libertação! Expectativas sobre as pessoas e seu comportamento, sobre os lugares e eventos e, principalmente, sobre si mesmo. Isso dá mais espaço para escolher e ser a cada momento.


Multidões e barulho sempre me causam cansaço e irritação. Eu sabia que iria encontrar muito disso nessa viagem. Porém, isso é uma definição e, como definição, me coloca numa caixinha apertada, me limita. E se eu quiser navegar em águas calmas num dia e num mar agitado em outro… Quem disse que não posso?

Ops, eu mesma!

Então, eu posso mudar isso. No meio da galera, ativava as ferramentas quânticas em real time e acionava o botão ‘seja o que deus quiser’ – minha tradução livre para desapego aos resultados. Se funcionasse 100%, ótimo! Se funcionasse mais ou menos ou nadinha, tudo bem também. Encontraria outra solução. Para minha surpresa, funcionou todas as vezes! Eis aqui outra libertação!

‘Eu sou assim ou assado, eu não suporto tal coisa, eu não consigo superar isso’… Definições podem ser uma prisão energética! Quantas definições nós temos de nós mesmos que nos impedem de ser leves, de ter relacionamentos saudáveis? De quantas formas eu mesma estou me impedindo de crescer, produzir e prosperar? Prosperar em todas as áreas da vida, não somente em relação ao aspecto financeiro.

Pausa para reflexão:

Quantas definições sobre você, você criou ou comprou dos outros (aceitou) que te mantem preso a um lugar de ser menos do que pode ser.

Quais definições te mantém amarrado no lugar em vez de permitir espaço para criar.

Quais definições te mantem na carência e no sofrimento.

Quais definições sussurram baixinho no seu ouvido todas as noites: ‘você é muito velho para isso’ ou ‘você é muito parecido com seus pais portanto deve ser assim’ ou ‘você não pode ter tanto na vida – seria injusto’ ou ‘é muito difícil ter sucesso para alguém do seu nível social’ ou ‘seu sonho é impossível’ ou ‘você está com X anos, já é hora de assentar’…

Quais definições você tem ou criou para se encaixar com sua família, com seus amigos ou grupos de trabalho.

Simplicidade e honestidade para olhar para si mesmo e perceber em que áreas trabalhar primeiro. Vontade de mudar. Coragem para começar. Tolerância consigo ao encontrar pedras no caminho inventadas por você mesmo. Tolerância com os outros que estão acostumados com você assim desse jeito e resistem. Persistência para seguir em frente, um passo após o outro.

O que você deseja ser encontra suporte nas definições de você?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.