Certezas

Acordei com uma imagem na cabeça: uma torre alta construída com pedras irregulares em meio a uma floresta exuberante. Pouco se pode aproveitar da natureza estando preso lá em cima, apenas o canto dos pássaros, a visão do céu, uma vista linda.

Torre de pedras: cada pedra uma certeza, uma definição, uma conclusão… baseadas em experiências, sensações, suposições, sentimentos… falsos ou verdadeiros… reais ou imaginários… úteis ou descartáveis… de verdade ou de mentira…

A cada novo tijolo assentado, a torre se torna mais alta. A pessoa no topo se afasta da Terra para mais longe da vida, da abundância, da energia que vibra em cada partícula.

Quando mais eu tenho certeza de que algo está certíssimo ou completamente errado, mais me enclausuro pois, para que eu vou ouvir novas ideias se eu já sei como funciona? Para que vou perder tempo investigando outras formas de ser, fazer, conceber se eu já sei o que vai acontecer? Velhas almas já sabem muita coisa, já tropeçaram muito, já viveram de tudo um pouco… Velhas almas arriscam menos. Velhas almas são mais sábias e cautelosas. Velhas almas correm o risco de ficar presas na torre de suas próprias certezas.

Posso viver nessa torre feliz para sempre, vendo o sol nascer quadrado pela janelinha dessa prisão criada e reforçada pela minha mente. É uma escolha. Mundo restrito para caber dentro da minha permissão limitada. Tudo bem. A prisão é construída internamente e projetada no mundo.

Será que um dia vou desejar escapar desse lugar? Se a torre desmoronar e me jogar ao chão, sem as minhas certezas me cobrindo, me sentirei desnuda e exposta ou livre e curiosa? Isso excita ou dá medo? O que poderia causar essa ruptura? Um raio vindo do alto = deus chamando na forma de intuição, um novo amor, o despertar para um propósito de alma; ou um terremoto sacodindo a terra = falência, divórcio, morte de alguém querido; ou quem sabe uma explosão interna = doença, esgotamento físico e mental, depressão… Tudo isso parece bruto e destrutivo. Shiva realmente trabalha muito.

Seria possível tirar uma pedra de cada vez, de forma gradual, sem estatelar no chão? Não sei. Dessa forma, a tarefa poderia levar um tempo infinito para ser concluída. Tempo esse que não sei se temos nessa realidade.

Passamos algumas temporadas olhando a vida pela janela, em prisões imaginárias. Às vezes, falta coragem ou iniciativa, falta confiança em si mesmo, na própria vida e suas infinitas possibilidades, em Deus. Camadas de medos cimentam as pedras dessa construção. Medo todos temos. Se ele nos domina, limita as nossas escolhas. Se conseguimos observar e perceber que ele não é real… que poder é esse que damos a ele de ditar as regras da nossa vida?

Eu não sei muito, mas sei sim que é muito confortante contar com ajuda terapêutica para atravessar fases difíceis. Terapia ajuda muito, não faço isso sozinha: recebo muita ajuda no processo de ajudar as pessoas. Para atravessar as fases mais complicadas da minha vida eu busco ajuda também. Longe de ter todas as respostas e conseguir aplicar todas as ferramentas em mim mesma com imparcialidade. Até porque, também mereço acolhimento e colo.

Publicado por Denise Fracaro

Sou uma pessoa que não cansa de estudar, em busca constante de autoconhecimento, com imenso prazer em compartilhar seus achados para o benefício de todos os seres. Além de blogar, trabalho com terapias quânticas usando diversas técnicas e dou cursos e workshops.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: