Lágrimas de limpeza

O que eu venho aprendendo com meus clientes ultimamente? Sempre aprendo muito com cada um, até mesmo com aqueles que agendam e não aparecem para a sessão.

No momento, gostaria de te convidar para jogar fora a vergonha de chorar suas tristezas, de permitir a limpeza da raiva, da frustração e da vontade de mudar tudo na vida e de repente, jogar tudo pro alto! Junto com as lágrimas, também sai a vontade de mudar o outro, mesmo sabendo que não podemos mudar ninguém… Vez ou outra, nos encontramos na mesma esquina da vida, diante de uma encruzilhada onde se lê na placa da esquerda: “começar de novo” e na outra, “firme na areia movediça”.

Dores conhecidas, dores aceitas. E tem gente ainda que chama de “zona de conforto” quando, na realidade é uma verdadeira ‘zona de desconforto’. Apenas temos familiaridade com as mancadas, as traições, humilhações ou rejeições…

Gente que chora incomoda. As pessoas ao redor não sabem como lidar, não sabem o que fazer. O que você faz, oferece colo, lenço, espera passar ou sai de fininho fingindo que não percebeu? Da onde vem esse constrangimento se chorar é tão natural?

Por isso, te indicam todo tipo de “remédio” para conter as lágrimas, anestesiar os sentidos, amenizar as dores, embaçar a vista, nublar o pensamento… Se você não sente, não chora, não sofre, não se anima, não vibra, não vive, não contesta… você se torna mais aceitável! Tem remédio para tudo, principalmente para colocar as pessoas no modo ‘normal’, eu diria, robotizado de ser, seguindo passivamente as instruções vigentes.

Felizes as pessoas que conseguem entrar em contato com suas emoções e vivê-las de forma plena, sem bloquear ou negar o que sentem: quando alegres, cantam e dançam, gritam e pulam feito crianças na chuva. Sem preocupação em pegar resfriado ou se molhar, estragar o cabelo e, melhor de tudo: sem se preocupar com o pensamento (= crítica) dos outros…

Quando tristes, podem se encolher no sofá e deixar fluir para fora de seus corpos fragilizados as mágoas, o cansaço e a falta de compreensão que encontram pela vida. Tem momentos em que chorar é o melhor remédio: sentar e chorar. Deixar sair.

Pessoas emotivas, intensas e sensíveis ao estilo montanha russa são desafiadoras. A sinceridade das suas emoções escancara a incapacidade de alguns em lidar com o próprio mundo interno e, para não entrar em pane, o sistema entra rapidamente em ‘modo julgamento’ dos dois lados: o chorão se julga fraco e incompetente e o outro se julga superior e forte.

Pessoas condicionadas, buscando atender a modelos de perfeição, treinadas para seguirem trilhas pré-determinados não encontram espaço para espontaneidade ou criatividade. Macacões justos tecidos em condicionamentos restringem os movimentos. Um corpo enrijecido reflete uma mente também rígida. Excesso de certezas não deixa espaço para experimentação.

Pessoas livres são desafiadoras. Livres para sentir, livres para se mover, se vestir da forma que gostam sem seguir a moda, amar como desejam amar… Eu me pergunto: tem alguma parte na nossa vida na qual somos realmente livres?

Publicado por Denise Fracaro

Sou uma pessoa que não cansa de estudar, em busca constante de autoconhecimento, com imenso prazer em compartilhar seus achados para o benefício de todos os seres. Além de blogar, trabalho com terapias quânticas usando diversas técnicas e dou cursos e workshops.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: