Somos todos Budas

A busca pela perfeição é cobrada em todas as áreas, tem de ser linda não importa a idade, corpão de modelo, unhas feitas, roupa da moda, ter os mestrados e cursos disponíveis, frequentar os eventos sociais, educar bem os filhos, ter tempo para eles, ajudar na lição de casa, por comida saudável na mesa, estar sorridente e ser compreensiva… São tantas cobranças – nossas e dos outros – que cansa só de pensar!

E por mais que a vida se modernize com máquinas e equipamentos eletrônicos tipo smart-tudo – instalados em toda parte e dos quais nos tornamos dependentes – visando facilitar a rotina para termos mais tempo livre, cadê esse tempo?

Ter tempo é uma grande conquista. A gente trabalha o dia todo e ainda tem de ter tempo para os filhos, os amigos, o cônjuge, a família, o gato; tempo para estudar e se preparar, tempo para se cuidar e dormir, por favor, preciso dormir!

Até mesmo esses equipamentos facilitadores nos tornam escravos. Se você não viu os últimos acontecimentos no Oriente Médio ou da Lava-a-Jato, ‘nossa, em que planeta você vive?’ Com tanta facilidade de comunicação, a gente esquece de se comunicar com o ser mais importante do mundo, aquele velho conhecido que mora dentro do peito. O único que vale a pena conhecer de verdade.

Será que conseguimos ser mais smart que esses aparatos e nos mantermos sadios emocionalmente?

Por que será que estamos nos distraindo com tantas coisas do ‘mundo de fora’?

Seria porque precisamos estar por dentro de tudo e precisamos estar por dentro de tudo apenas para mostrar aos ‘outros’ que somos antenados ou todas essas coisas realmente importam para a gente?

Ou estamos nos concentrando nas coisas externas porque o medo de olhar para dentro e encontrar sofrimento é muito grande? Melhor nem saber…

Vamos lá, faça a única viagem que vale a pena: para dentro. O que será que você vai encontrar?

  • E se tiver dor?
  • E se tiver solidão?
  • E se tiver abuso?
  • E se tiver decepção, tristeza, rancor e mágoa?
  • Ou ainda inveja, raiva e desejos de vingança?

Nem perca tempo se perguntando essas coisas pois é claro o que vai encontrar: se não tudo isso junto, um pouco mais de um, menos de outro… De todas as formas ainda é você. De todas as formas, todos temos sombras mais ou menos escuras. Todos sofremos.

A primeira nobre verdade descoberta por Buda foi essa: a verdade do sofrimento. De onde veio essa revelação para ele? Não veio de livros, nem da internet. Veio depois de meditar e meditar e meditar por muito tempo. Veio de dentro, quando ele conseguiu silenciar e acessar todo o conhecimento do universo existente dentro dele.

Estamos sentados sobre um baú cheio de tesouros inimagináveis porém nos sentimos e nos comportamos como mendigos, pobres e desamparados.

E se….
Você se desse uma chance?

chacra2
E se…
Você pudesse acessar esse baú? O que te impede?

Pensa nisso.
O que que impede?

2 comentários em “Somos todos Budas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s